QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA DOENÇA?

A Rodrigues Figueiredo, MD

Oftalmologista Consultor. Coordenador de Glaucoma da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia

O glaucoma é bastante assintomático nas fases iniciais.

Com a progressão da doença, a área de perceção de imagens (campo visual) vai sofrendo perdas em vários setores, inicialmente mais periféricos, por fim centrais, afetando a visão central e causando nas fases terminais perda de visão.

No entanto, a perceção inicial da doença é ainda mais difícil, devido à nossa própria adaptação cerebral, que vai tentando substituir as imagens em falta por “cópias” das imagens próximas – como num roubo valioso, em que as peças roubadas sejam substituidas por cópias idênticas.

Por isso chamamos ao glaucoma “ o ladrão silencioso da visão”.

Este fenómeno provoca uma perceção deformada e incompleta da realidade, tornando-se bastante grave por exemplo, na marcha, causando quedas (uma queixa frequente) ou na condução automóvel. 
À excepção do glaucoma agudo, hoje relativamente raro, as formas mais frequentes de glaucoma são, como vimos, completamente assintomaticas na fase inicial.

Nas formas mais avançadas, começam a aparecer perturbações várias na visão, que correspondem à perda de campo visual; e por último, a evolução natural da doença pode levar a grande restrição visual ou mesmo à cegueira.